Alcochete cria programa para apoiar e incentivar restauração

09-07-2020 (12h20)

Foto: Brooke Lark / Unsplash
Foto: Brooke Lark / Unsplash

A Câmara de Alcochete apresenta hoje o programa “Reabrir em Segurança”, que vai apoiar os empresários da restauração do concelho, no distrito de Setúbal, com informações e materiais para regressarem à actividade.

A iniciativa inclui 10 medidas de apoio por “tantas dificuldades e prejuízos” que a pandemia da covid-19 trouxe aos empresários, em particular ao comércio tradicional e à restauração, informou o presidente do município, Fernando Pinto (PS).

Numa nota escrita enviada à Lusa, o autarca adiantou que o objectivo é “dotar os estabelecimentos comerciais de toda a informação e condições essenciais para o regresso à atividade económica”.

Desta forma, os empresários poderão beneficiar da “isenção das licenças de ocupação comercial de espaços públicos até ao final do ano” e da “redução da fatura total da água em 30% para consumos não-domésticos”.

Tendo em conta os limites de lotação, a autarquia vai também analisar e implementar “maiores espaços para serviço de esplanada”.

Outra vertente será a disponibilização online de toda a informação sobre as regras de segurança que estes negócios devem ter para prevenir o contágio da doença.

Além disso, vai disponibilizar recargas de álcool gel e antissético, sacos para serviço de take-away, saquetas para colocação de talheres e um kit de sinalética que tem em conta as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS).

“Desenvolvemos um conjunto de medidas que culminam com a apresentação de um filme promocional da nossa restauração que visa inspirar confiança a todos aqueles que se habituaram a degustar a nossa gastronomia”, mencionou Fernando Pinto.

Segundo o autarca, a ideia para este programa surgiu pelo “conhecimento e importância que este setor representa no concelho”, onde a gastronomia "é um dos alicerces elementares na promoção e divulgação”.

“Trata-se de uma ação que destaca a esperança e a confiança no futuro e que permita a esta valência da nossa economia uma retoma segura que assente em três pilares fundamentais: reerguer, reinventar e reabrir Alcochete em plena segurança”, disse.

De acordo com a nota divulgada, a pandemia levou “muitas empresas a ficarem em ‘lay-off’ com dificuldades acrescidas por ausência brusca de receitas, que dificultaram visivelmente o cumprimento dos compromissos assumidos”.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Associação vai criar rota gastronómica para valorizar queijos da região Centro

13-08-2020 (16h17)

A Associação do Cluster Agroindustrial do Centro (InovCluster) vai criar uma rota turística e gastronómica para valorizar e promover aquele produto regional, nomeadamente as marcas "Beira Baixa", "Serra da Estrela" e "Rabaçal".

ATA investe em campanha publicitária no Reino Unido

12-08-2020 (17h38)

A Associação Turismo do Algarve (ATA) vai reforçar a mensagem de que a região é um destino seguro junto do Reino Unido, através de uma campanha publicitária que será emitida na estação de televisão Channel 5, foi hoje anunciado.

Cascais cria conjunto de medidas de apoio ao turismo local

10-08-2020 (16h19)

A Câmara Municipal de Cascais, no distrito de Lisboa, vai apoiar o turismo local com "isenção ou suspensão de taxas" no sector e realizar testes à Covid-19 aos funcionários de hotéis e alojamentos locais, anunciou hoje o município.

Emirates adia retoma dos voos para o Porto para o Verão IATA de 2021

10-08-2020 (13h03)

A Emirates, maior companhia do mundo em tráfego internacional medido em RPK (passageiros x quilómetros voados), adiou o recomeço dos voos Dubai – Porto para o início do Verão IATA 2021, em finais de Março do próximo ano.

Revive lança concurso para recuperação do Mosteiro de Santo André de Rendufe para turismo

08-08-2020 (08h48)

O Governo anunciou ontem a abertura de concurso para a concessão por 50 anos do Mosteiro de Santo André de Rendufe, em Amares, Braga, no âmbito do programa Revive, pelo qual já foram concessionados 16 imóveis, com cerca de 135,5 milhões de euros de investimento na sua recuperação e rendas anuais na ordem dos 4,4 milhões de euros.

Opinião e Análise