Aprovado novo apoio a micro e PME e 100% dos salários para quem está em lay-off

26-11-2020 (13h27)

Foto: Didier Weemaels / Unsplash
Foto: Didier Weemaels / Unsplash

Os deputados aprovaram ontem propostas que prolongam para 2021 o apoio à retoma progressiva, deixando os trabalhadores de ter corte salarial, e que preveem a criação de um apoio público às micro e PME para pagamento das remunerações.

Em causa estão propostas do PS e do PCP que garantem o pagamento integral da remuneração até ao limite de três salários mínimos dos trabalhadores abrangidos pelos mecanismos de apoio à retoma da actividade económica, lay-off simplificado ou seu sucedâneo e lay-off previsto no Código do Trabalho, de acordo com a agência Lusa.

O pagamento sem cortes dos trabalhadores que viram o seu contrato de trabalho ser suspenso ou o horário de trabalho reduzido por as empresas onde trabalham se encontrarem encerradas ou terem quebras de facturação devido à pandemia de covid-19 era uma das exigências do PCP.

Ontem, quando anunciou que o PCP vai abster-se na votação final global do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), marcada para esta quinta-feira, o líder da bancada dos comunistas, João Oliveira, salientou tratar-se de uma abstenção que garante “importantes propostas e soluções pelas quais” o PCP se bateu, destacando oito pontos, a começar pela “garantia do pagamento dos salários por inteiro a todos os trabalhadores”.

A par da garantia do salário integral (prevista tanto na proposta do PCP como na que o PS reformulou já durante o processo de votação na especialidade do OE2021), a proposta do PCP contempla a criação de um apoio público dirigido às micro, pequenas e médias empresas (PME), até ao valor de três salários mínimos, para comparticipação do pagamento das remunerações.

Essa comparticipação será “em 100% do valor da retribuição, nos casos de encerramento total ou parcial da empresa ou estabelecimento, decorrente do dever de encerramento de instalações e estabelecimentos” e “em proporção correspondente à quebra de faturação, nos casos das situações de crise empresarial”.

A Lusa acrescenta que este mecanismo de apoio será regulamentado até 30 dias após a entrada em vigor do OE2021.

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Empresas&Negócios

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Covid-19 faz mais um número recorde de mortes num só dia em Portugal

23-01-2021 (16h50)

A covid-19 foi a causa de morte de 274 pessoas em Portugal na sexta-feira, segundo informação hoje da DGS, mais 40 do que o máximo registado na véspera.

Portugal atinge novo máximo diário com 234 mortes de doentes com covid-19

22-01-2021 (17h48)

Portugal somou ontem 234 mortes relacionadas com a covid-19, o maior aumento diário desde o início da pandemia, e 13.987 casos de infecção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

TAP foi a companhia que mais aumentou a quota do transporte aéreo de passageiros de/para o Brasil em Dezembro

22-01-2021 (17h05)

A TAP atingiu em Dezembro uma quota de 12,5% do transporte aéreo internacional de passageiros de/para o Brasil, em alta de 5,1 pontos relativamente ao mês homólogo de 2019, de acordo com dados da autoridade aeronáutica brasileira (ANAC).

Empresas que acederam a incentivo à normalização podem pedir apoio à retoma a partir de Fevereiro

22-01-2021 (16h22)

As empresas que acederam ao incentivo à normalização da actividade podem recorrer, a partir de Fevereiro, ao apoio à retoma, sem terem de devolver os apoios já recebidos, clarificou o Governo.

TAP ultrapassa meio milhão de passageiros nos voos de/para o Brasil e sobe a nº2 deste mercado

22-01-2021 (13h38)

A TAP transportou 544 mil passageiros nos seus voos de/para o Brasil em 2020 e reforçou assim a sua quota do mercado brasileiro de transporte aéreo internacional, do qual alcançou a vice-liderança, segundo os dados da autoridade aeronáutica brasileira, ANAC, consultados pelo PressTUR.

Opinião e Análise