Banco de Portugal prevê “abrandamento” das exportações de turismo em 2020-21

12-06-2019 (17h05)

O Banco de Portugal avançou hoje a previsão de um abrandamento das exportações de turismo em 2020-21, “num contexto de recuperação de alguns destinos concorrentes”.

O banco central assinala que esse abrandamento ocorre “após o crescimento significativo observado nos últimos anos”.

A informação consta do Boletim Económico publicado hoje, no qual é possível ver que, no entanto, para este ano o banco central prevê um aumento da contribuição do turismo para a variação anual das exportações de bens e turismo.

Ainda assim, o banco central perspectiva “um dinamismo na actividade turística ligeiramente superior ao da procura externa”, que será o sustentáculo de “ganhos de quota de mercado marginais”.

 

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Banco de Portugal

 

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

euroAtlantic faz voo da China para o Porto com material sanitário

26-05-2020 (17h44)

A companhia de aviação portuguesa euroAtlantic realiza hoje um voo da China para o Porto com 23 toneladas de material sanitário usado para combater a pandemia de covid-19.

NAU Hotels & Resorts vai reabrir sete hotéis entre 31 de Maio e 27 de Junho

26-05-2020 (15h09)

A NAU Hotels & Resorts vai reabrir sete unidades hoteleiras desde 31 de Maio até 27 de Junho com a certificação Clean & Safe do Turismo de Portugal e um protocolo interno com medidas de segurança e saúde.

easyJet volta a voar Belfast – Faro no dia 16 de Junho

26-05-2020 (14h51)

A easyJet vai retomar as ligações entre Belfast, na Irlanda do Norte, e Faro, no Algarve, no dia 16 de Junho, com três voos por semana.

Transavia retoma voos para Lisboa e Faro a 4 de Junho

26-05-2020 (12h35)

A Transavia, low cost do grupo Air France KLM, está a anunciar a retoma a 4 de Junho de voos de Amesterdão para Lisboa e para Faro.

Estado alemão entra para o capital do grupo Lufthansa... mas não para mandar

26-05-2020 (11h57)

O grupo alemão Lufthansa anunciou que já tem a aprovação de um apoio estatal até nove mil milhões de euros, incluindo 4,7 mil milhões em participação societária, que descreve como “silent participation”, ou seja, que não confere o direito de “mandar”, como em Portugal é exigido pelo ministro Pedro Nuno Santos em relação a um eventual apoio à TAP.

Opinião e Análise