CTP preocupada com controlo de testes caso a caso nos aeroportos

26-11-2021 (16h49)

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) manifestou-se hoje preocupado com a medida que obriga as companhias aéreas a controlarem caso a caso os testes à covid-19, nomeadamente em alturas de maior movimento nos aeroportos.

"Essa é uma questão que me preocupa bastante porque temos de pensar que, em horários de picos, temos cerca de 2.500 a 3.000 pessoas a desembarcar e, em vez de se fazer este controlo como estava a ser feito até agora, de uma forma aleatória, estar a fazer caso a caso, é evidente que vai prejudicar bastante o conforto dos passageiros", disse aos jornalistas o líder da CTP, Francisco Calheiros, à entrada da reunião de Concertação Social, em Lisboa.

Francisco Calheiros contou que está a ser preparado um relatório pela ANA – Aeroportos sobre a operacionalização da medida para que o controlo de passageiros com teste negativo à covid-19 possa ser feito a partir de 1 de Dezembro, altura em que começa o estado de calamidade decretado na quinta-feira pelo Governo.

"Ainda nem sequer há um local onde isso possa ser feito, sobretudo um local onde possa haver filas de centenas de pessoas e por quem é que irá ser feito esse controlo", acrescentou o líder da CTP, salientando que neste momento existe uma "falta de mão de obra extremamente grande" sendo preciso "um acréscimo de umas dezenas de pessoas para poderem fazer este controlo".

Sobre a aplicação de multas às companhias aéreas que transportarem passageiros sem teste à covid-19, Francisco Calheiros começou por dizer que "faz sempre sentido haver coimas quando as pessoas não cumprem com aquilo que está previsto", mas defendeu que "as pessoas é que têm de ser suficientemente responsáveis".

Quanto à exigência do certificado digital no acesso a hotéis e alojamento local, o presidente da CTP desvalorizou o impacto da medida ao considerar que o sector já está habituado e que é "um processo relativamente simples".

Questionado sobre o impacto geral no turismo das medidas decididas na quinta-feira em Conselho Ministros, Francisco Calheiros disse que a CTP sempre aceitou as regras sanitárias impostas para conter a covid-19, mas sublinhou que todas as medidas que "venham complicar" a "deslocação, segurança e comodidade" no que ao sector diz respeito "não são boas".

(Notícia Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Turismo do Porto e Norte inaugura tela de promoção ao Douro no Aeroporto Francisco Sá Carneiro

14-01-2022 (14h57)

O Turismo do Porto e Norte inaugura hoje uma tela gigante no exterior da sua loja no Aeroporto Francisco Sá Carneiro com uma "imagem poderosa do Douro Vinhateiro".

Madeira prolonga situação de contingência até 31 de Janeiro

14-01-2022 (11h07)

O Governo da Madeira decidiu prolongar a situação de contingência na região até 31 de Janeiro, na sequência da pandemia da covid-19, e manter as normas de controlo em vigor, anunciou o gabinete da presidência do executivo insular.

Vales de viagens atingiram 100 milhões de euros e litígios não são “materialmente relevantes” – APAVT

14-01-2022 (10h45)

Os vales emitidos pelas agências, por viagens canceladas até final de setembro de 2020, atingiram os 100 milhões de euros e estão praticamente resolvidos, com os litígios a não serem “materialmente relevantes”, garantiu o presidente da APAVT.

Contactos de caso confirmado que tenham feito autoteste devem confirmar resultados

13-01-2022 (14h20)

Os contactos de alto e baixo risco de casos confirmados de covid-19 que tenham feito autoteste devem confirmar o resultado com teste rápido de antigénio (TRAg) ou teste de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN), segundo a Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Bares e discotecas autorizados a reabrir na sexta-feira a partir das 22h

13-01-2022 (14h10)

Os bares e discotecas voltam a abrir na sexta-feira à noite, após novo encerramento de três semanas devido à covid-19, com os clientes sem dose de reforço da vacina a terem de apresentar teste negativo para entrar.

Opinião e Análise