euroAtlantic admite sair da STP Airways, mas não empurrada, Tomaz Metello

11-06-2019 (17h47)

O fundador e presidente da Administração da euroAtlantic Airways, Tomaz Metello, admitiu hoje em declarações à Agência Lusa que a empresa deixe de ser accionista da companhia são-tomense STP Airways, mas quando entender.

“É falso dizer que a euroAtlantic vai sair [de São Tomé e Príncipe] e que o contrato acabou, é mentira. Se quisermos, continuamos a voar porque o acordo aéreo autoriza qualquer companhia lá”, afirmou Tomaz Metello.

As declarações do presidente do conselho de administração e accionista único da euroAtlantic Airways (EEA) surgem depois de o Governo são-tomense ter anunciado a intenção de terminar em Outubro o acordo para a gestão da STP Airways, abrindo a porta a novos parceiros (clique para ler: Governo de São Tomé anuncia que STP Airways vai deixar de ter voos para Lisboa com a sua accionista euroAtlantic).

A euroAtlantic tem 40% do capital e a responsabilidade pela gestão da STP Airways, tendo igualmente um contrato para a realização dos voos da são-tomense para Portugal em regime de ACMI (aluguer que inclui avião, tripulação, manutenção e seguros) e de concessão do handling, operação que o Governo são-tomense lhe quer retirar.

Tomaz Metello explicou à agência Lusa que a concessão dos serviços de handling foi a condição para a empresa entrar no capital e na gestão da STP Airways, assegurando que sem esta operação não tem interesse em continuar a gerir a empresa são-tomense.

A intenção de separar o handling da restante operação remonta ao anterior Governo, do primeiro-ministro Patrice Trovoada, que concordou, entretanto, prolongar até 2020 a concessão para permitir um compromisso entre as partes.

“Este Governo, antes mesmo do limite da data de concessão, disse-nos: vocês vão ficar sem o handling, vamos chegar aqui a um acordo”, adiantou Tomaz Metello.

O empresário sublinha que, no entanto, uma saída de euroAtlantic do capital da STP Airways tem de ter a concordância do maior accionista, a própria euroAtlantic, e implica a alteração dos estatutos da empresa.

Por outro lado, acrescentou, “mesmo que tenham a STP Airways com outros parceiros quaisquer, podemos continuar a voar como euroAtlantic, como aliás fizemos no início”.

“Antes de existir a STP Airways, nós já voávamos para lá”, reforçou.

Tomaz Metello admite dar o aval à mudança dos estatutos para sair da gestão da companhia são-tomense de aviação, mas põe como condição que lhe seja paga uma dívida de cerca de 600 mil euros, que tem mais de uma década.

“A outra opção é acabar com a STP Airways e, nesse caso, têm que dividir [pelos accionistas] o dinheiro [que está na empresa] e que é mais de 4,5 milhões de euros”, correspondendo os 40% de acções a 1,8 milhões, disse.

Tomaz Metello diz que foi surpreendido com a decisão anunciada nos meios de comunicação social pelo ministro das Obras Públicas, Infra-estruturas e Recursos Naturais de São Tomé, Osvaldo Abreu, de terminar o contrato em Outubro, e lamentou que, com todos os governos com que já lidaram, só este tenha imposto esta situação.

“Tomou esta decisão e deu esta informação sem o nosso aval e nós saímos quando quisermos. Poderemos eventualmente sair porque achamos que não conseguimos rentabilizar [a empresa] sem o handling, mas somos nós que queremos sair e não eles que nos mandam embora”, garantiu.

De acordo com Osvaldo Abreu, “houve um pedido para a extensão” da concessão do handling e o Governo de São Tomé e Príncipe achou que, neste momento, “não havia condições” para essa extensão.

“A empresa achou que sem a anuência desta solicitação não teria as condições para continuar a operar com a STP Airways”, acrescentou o ministro.

Tomaz Metello assegura que não houve qualquer novo pedido de extensão e que existe um contrato que devia vigorar até 2020 e que o Governo quer acabar já este ano.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: euroAtlantic

Clique para ver mais: STP Airways

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Chaves investe na ecovia transfronteiriça do Tâmega e nos balneários termais

05-08-2020 (19h13)

O município de Chaves vai aplicar cerca de 830 mil euros em dois projectos que visam prolongar a ecovia transfronteiriça do Tâmega e promover e valorizar a oferta dos balneários termais do concelho.

Câmara de Lisboa aprova apoio de 574 mil euros à Associação das Casas de Fado

05-08-2020 (18h21)

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou a celebração de um protocolo com a Associação das Casas de Fado de Lisboa (ACFL), constituída por 11 empresas, que inclui um apoio financeiro de 574 mil euros.

RNA Seguros de Assistência lança seguro de viagem para visitantes estrangeiros

05-08-2020 (16h53)

A RNA Seguros de Assistência lançou o Portugal Travel Insurance, um "seguro de viagem adaptado à nova realidade pandémica" que se destina a visitantes que residem no estrangeiro.

Brussels programa 21 voos para Portugal este Agosto

05-08-2020 (16h11)

A Brussels Airlines, companhia belga do grupo Lufthansa, tem programado efectuar este Agosto 21 voos por semana do seu hub de Bruxelas para os aeroportos portugueses do Porto, de Lisboa e de Faro.

Qatar Airways mantém quatro voos/semana na rota Doha – Lisboa

05-08-2020 (15h46)

A Qatar Airways, uma das maiores companhias de aviação da região do Golfo, manteve em quatro voos por semana a frequência de voos na rota Doha – Lisboa no período de 1 de Setembro a 24 de Outubro.

Opinião e Análise