Investimento público vai chegar aos 10 mil milhões de euros em quatro anos, Pedro Siza Vieira

30-10-2019 (21h53)

O ministro da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou no parlamento, no debate do Programa de Governo, que haverá 10 mil milhões de euros para investimento público durante a legislatura.

"O investimento público, em várias áreas, crescerá a um ritmo superior a 10% ao ano durante a legislatura, atingindo um valor de 10.000 milhões de euros no quadro da legislatura", afirmou Pedro Siza Vieira num discurso na Assembleia da República, em Lisboa.

A este montante "somar-se-ão mais de 3.000 milhões de euros de investimento privado nos portos e no reforço da capacidade aeroportuária em Lisboa e no Porto", o que segundo o também ministro de Estado e número dois do Governo, "constituirá, por si só, um factor de crescimento da economia".

Mas apesar do Governo "estar atento ao contexto externo e de ajustar a política económica, de forma responsável, à evolução da conjuntura", as "políticas públicas têm mesmo que apoiar o reforço do investimento público e privado".

"O Governo pretende usar os recursos ao seu dispor para o efeito", assegurou o ministro.

Pedro Siza Vieira disse que esses recursos compreendem "acelerar o ritmo do investimento público em áreas críticas, para assegurar infraestruturas modernas ao serviço das empresas e dos cidadãos".

De acordo com o programa de Governo, o investimento público compreende "a aposta na ferrovia, concluindo até ao fim da legislatura os investimentos previstos no ferrovia 2020, como o investimento previsto no corredor interior Norte, no corredor interior Sul e no corredor Norte-Sul".

O programa inclui ainda "o investimento na expansão dos metros de Lisboa e Porto e no sistema de mobilidade ligeira do Mondego", em "material circulante para aumentar a capacidade de resposta" nos metros, CP, Transtejo e sistema de mobilidade do Mondego.

O investimento público inclui ainda obras de renovação de vias, o programa nacional de regadios, no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e na modernização e requalificação de escolas.

Durante o seu discurso, Pedro Siza Vieira frisou o contexto de incerteza económica mundial, referindo que "a tensão mantém-se entre as principais economias mundiais".

"Portugal tem continuado a crescer acima da média europeia, mas a um ritmo inferior aos anos anteriores", reconheceu o número dois do Governo.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Sonhando confia que a sua operação charter para Cuba vai ser “a mais bem sucedida este ano em Portugal”

05-06-2020 (15h27)

José Manuel Antunes, director-geral do operador Sonhando, está confiante que este ano, apesar do impacto da pandemia de Covid-19 nas viagens e turismo, não só vai conseguir realizar a operação charter para Cuba, como até diz ter a esperança de que será a operação de longo curso “mais bem sucedida este ano em Portugal”.

Reservas já vão ‘pingando’, José Manuel Antunes

05-06-2020 (15h25)

Sem euforias, mas confiante é a imagem que o director-geral da Sonhando transmite quanto à operação este ano, que tem Porto Santo e Cuba como destinos chave e para os quais afirma que já vão surgindo reservas, apesar de todos os receios decorrentes da pandemia de covid-19.

Governo confirma que Portugal foi um dos primeiros destinos a receber o selo de segurança do WTTC

05-06-2020 (12h37)

O Governo confirmou que Portugal foi um dos primeiros destinos a receber o reconhecimento do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) pelas medidas implementadas para proteger a saúde dos viajantes, como o PressTUR noticiou em 29 de Maio.

Madrid reconhece reabertura da fronteira terrestre com Portugal para 1 de Julho

04-06-2020 (15h43)

O Governo espanhol declarou hoje que a abertura das fronteiras à mobilidade internacional segura terá lugar a partir de 1 de Julho, e não a 22 de Junho, como tinha indicado a ministra do Turismo esta manhã.

CTP apresenta ao Governo plano de retoma com 99 medidas

04-06-2020 (15h19)

O prolongamento do lay-off simplificado até Junho de 2021 e das moratórias fiscais até final desse ano e a isenção do PEC e IMI são duas das 99 medidas reclamadas pela Confederação do Turismo de Portugal (CTP) para retoma do sector.

Opinião e Análise