Secretário do Turismo da Madeira diz ser altura de "arregaçar as mangas" para recuperar

12-11-2019 (15h27)

O secretário regional do Turismo e Cultura da Madeira declarou hoje ser necessário "arregaçar as mangas e agir com determinação", numa altura em que o sector atravessa uma fase menos boa em termos de visitantes.

Eduardo Jesus falava no debate do programa do XIII Governo Regional da Madeira, saído das eleições de 22 de Setembro, na Assembleia Legislativa do arquipélago.

O governante madeirense sustentou que uma acção determinada é imprescindível numa altura em que "o turismo atravessa uma fase de abrandamento" e regista perdas por causa da falência de 14 companhias aéreas, nove das quais operavam para o arquipélago da Madeira.

O representante destacou o aumento do apoio à Associação de Promoção (os apoios cresceram quatro vezes entre 2015 e 2019, de 1,8 milhões para 7,5 milhões de euros), assim como a aposta na consolidação dos mercados emissores tradicionais (Reino Unido e Alemanha) e na procura de novos, como o norte-americano, sobre o qual está em curso um estudo económico.

O secretário regional defendeu ser necessário "aumentar a oferta de ligações aéreas, fortalecendo a economia regional".

Eduardo Jesus recordou que este sector representa 25% a 30% do Produto Interno Bruto e é originador de 20 mil postos de trabalho (16%) no arquipélago.

A consolidação dos mercados turísticos existentes e a aposta em novas origens, a modernização da oferta regional, o incremento de novas tecnologias de promoção, a valorização da qualificação dos profissionais e o reforço das ligações com todos os parceiros são aspetos que enunciou como metas a atingir no programa do Governo da Madeira.

Sobre a possibilidade de aplicar uma taxa turística, Eduardo Jesus argumentou que "não foi uma iniciativa do governo lançar” a medida, mas surgiu de um repto lançado pela Ordem dos Economistas que "foi acolhido como matéria de estudo". Porém, prometeu, "nada será feito sem o envolvimento dos privados".

No sector da cultura, Eduardo Jesus realçou a importância da descentralização que foi implementada e defendeu a continuação da "requalificação do património material e imaterial".

Ao longo de 2020 haverá dezenas de iniciativas sobre os 600 anos da descoberta da Madeira, incluindo a publicação de trabalhos e obras, espetáculos, exposições e a colocação de peças de escultura no espaço público.

Eduardo Jesus referiu ainda o acesso da região aos fundos nacionais da Direção das Artes para três projetos no valor de 290 mil euros, mas que "ainda não foram pagos".

"Daremos continuidade a tudo o que de bom se fez nos últimos quatro anos", prometeu.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

António Costa desafia britânicos a passar férias em segurança no Algarve

03-07-2020 (21h01)

O primeiro-ministro, António Costa, desafiou os britânicos “a passar umas férias em segurança no Algarve”, destacando que a região portuguesa tem menos infecções de covid-19 por 100 mil habitantes que o Reino Unido.

TAP informa mercado sobre acordo de princípio entre Estado e privados

03-07-2020 (19h02)

A TAP informou hoje o mercado, através de um comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), do acordo de princípio atingido esta quinta-feira à noite entre os privados e o Estado, para viabilizar a empresa.

Frasquilho avisa que próximos tempos na TAP serão difíceis, mas superados

03-07-2020 (18h57)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, alertou os trabalhadores numa mensagem a que o PressTUR teve acesso que os próximos tempos serão difíceis, mas serão superados “com alguns sacrifícios”.

Reino Unido declara Açores e Madeira destinos seguros, mas mantém quarentena obrigatória no regresso

03-07-2020 (18h06)

O Reino Unido anunciou hoje que Açores e Madeira deixaram de representar “um risco inaceitavelmente alto” para os viajantes britânicos, no mesmo dia em que revelou que Portugal está fora da lista de países para onde os ingleses podem viajar sem ter de cumprir 14 dias de quarentena no regresso.

Inglaterra exclui Portugal dos corredores de viagem que permitem evitar quarentena

03-07-2020 (16h07)

Portugal foi excluído dos "corredores de viagem internacionais" com destinos turísticos que Inglaterra vai abrir para permitir aos ingleses passarem férias sem cumprir quarentena no regresso, foi hoje confirmado.

Opinião e Análise