Sobrevivência das empresa turísticas do Algarve depende do Governo, AHETA

12-01-2021 (11h47)

“A sobrevivência das empresas hoteleiras e turísticas do Algarve vai depender, fundamentalmente, das condições fiscais e financeiras criadas pelo Governo”, declarou hoje a AHETA ao fazer o balanço do ano 2020, que diz ter sido o pior de que há memória.

De acordo com a Associação, no ano passado o volume de negócios da hotelaria algarvia baixou mais de 800 milhões de euros por quebras da procura dos principais mercados emissores externos, que estima terem sido de 75,1%, “enquanto o mercado interno, apesar do aumento de procura nos meses de Verão, terminou o ano com menos 1,1 milhões de dormidas e 335 mil hóspedes, (-21,2%)”.

A AHETA conclui que “o impacto económico e social destas realidades nas empresas hoteleiras e turísticas regionais traduz-se, concretamente, numa elevada descapitalização e numa crise de tesouraria sem precedentes, ambas agravadas pelo agudizar da crise pandémica em todo o mundo, designadamente nos países de origem dos turistas, bem como à falta de apoios específicos consistentes à economia do turismo e aos seus agentes principais – as empresas”.

Assim, acrescenta, “sem apoios consistentes, a recuperação económica do turismo e do Algarve estão comprometidos, na medida em que colocam em causa os activos mais valiosos da actividade turística regional, designadamente o know how acumulado durante décadas, consubstanciado em competências de gestão, para além da necessidade em manter e preservar recursos humanos de qualidade, conhecimento dos canais de comercialização e distribuição de férias, assim como todo o circuito que envolve o negócio turístico, etc.”

A AHETA avisa que se “a situação e os efeitos/impacto da pandemia se prolongarem, vamos assistir ao colapso de muitas empresas turísticas do Algarve” e defende “que é fundamental serem revistas e tomadas novas medidas de apoio, "no imediato e com urgência”, para prevenir e/ou impedir que tal venha a acontecer”.

 

Clique para mais notícias: AHETA

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

AHP classifica de “absurdo” manter hotéis abertos sem poderem prestar serviços

15-01-2021 (17h52)

O presidente da AHP - Associação da Hotelaria de Portugal considera “lamentável” que, vistas as limitações impostas, o Governo não tenha decretado o encerramento dos hotéis para que pudessem aceder ao regime de lay-off simplificado.

Quebra de passageiros no Aeroporto de Lisboa em 2020 atingiu 21,9 milhões

15-01-2021 (16h24)

O Aeroporto de Lisboa, que em 2019 se debatia com falta de capacidade para tanto tráfego, em 2020, com a pandemia de covid-19, teve uma quebra para uns escassos 9,26 milhões de passageiros, pouco mais do que teve só no Verão de 2019 (9,19 milhões).

Hospitais em Portugal já têm mais de 4.500 internados com covid-19

15-01-2021 (16h23)

Os hospitais em Portugal nunca tiveram tantos doentes internados com covid-19 como esta quinta-feira, com 4.560, incluindo 622 em unidades de cuidados intensivos.

Quebra de tráfego aéreo de/para Portugal agravou-se no quarto trimestre de 2020 para 77%

15-01-2021 (15h51)

O quarto trimestre, que já por si é um período de época baixa da aviação no Hemisfério Norte, no ano passado até foi de agravamento da quebra induzida pela pandemia de covid-19, com o decréscimo der passageiros nos aeroportos portugueses geridos pela ANA/Vinci a situar-se 7,4 pontos acima da quebra média no ano.

Governo vai reabrir linha de crédito com garantia do Estado de 400 milhões de euros

15-01-2021 (13h27)

O Governo vai reabrir a linha de crédito com garantia do Estado para as empresas mais afectadas pelo novo confinamento, disponibilizando para já 400 milhões de euros, disse o ministro de Estado e da Economia, Siza Vieira.

Opinião e Análise