Sonhando & parceiros já têm garantidos quase 2.500 clientes para Cuba

03-06-2016 (16h40)

Praia do Pestana Cayo Coco
Praia do Pestana Cayo Coco

Com Cayo Coco à frente de Varadero

O operador Sonhando, pioneiro da retoma dos voos directos entre Portugal e Cuba, conta ao dia de hoje quase 2.500 reservas da sua ‘parte' da operação turística para a maior ilha das Caraíbas, com a particularidade de ter mais reservas para Cayo Coco que para Varadero, como avançou ao PressTUR o seu director-geral, José Manuel Antunes.

A operação para Varadero, em avião da Orbest e na qual além da Sonhando e dos seus parceiros Solférias, iTravel e Abreu, também têm lugares a Jolidey, do grupo Barceló, a Travelplan, do grupo Globalia, e a Soltour, do grupo Piñero, começa amanhã, enquanto a operação Cayo Coco só tem o primeiro voo a 11 de Julho.

"O fenómeno mais relevante do ponto de vista da Sonhando é que estamos a vender bastante mais Cayo Coco do que Varadero, ao contrário das previsões gerais, que não eram as minhas, porque sempre achei que a nossa bandeira é Cayo Coco e que é isso que temos que vender", disse hoje ao PressTUR José Manuel Antunes, depois de referir que a procura de Cuba "até está um bocado maior" que há um ano.

E no imediato, José Manuel Antunes deixa claro que a ocupação dos aviões não é motivo de preocupação, pois já tem vendida a totalidade da capacidade de que dispõe no avião de Varadero nas duas primeiras partidas, amanhã e dia 11.

"Os dois primeiros [voos] estão cheios, felizmente, e o primeiro até já há algum tempo [como, aliás, já tinha avançado em inícios de Abril; para ler mais clique: Sonhando, Solférias e iTravel esgotam capacidade para Varadero a 4 de Junho]", referiu o director-geral da Sonhando, que especificou estar a referir-se à parte da Sonhando, que totaliza 130 lugares por partida.

"Mas eu penso que da parte dos outros operadores também estará numa situação similar", acrescentou José Manuel Antunes, cuja a apreciação global é que "Cuba está bom" com uma ocupação dos voos que reputa de "excelente".

A operação para Cayo Coco, como aconteceu nos últimos dois anos, é em avião B767 da euroAtlantic, até ao presente única companhia aérea portuguesa a ter feito voos directos entre Lisboa o Aeroporto de Jardines del Rey.

 

Ver também:

Sonhando & parceiros já têm garantidos quase 2.500 clientes para Cuba

Charters para Porto Santo repetem êxito de 2015

Rentabilidade dos operadores volta a estar ameaçada, José Manuel Antunes, director-geral da Sonhando

 

Clique para mais notícias: Sonhando

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo adia levantamento de algumas restrições na Área Metropolitana de Lisboa

29-05-2020 (18h25)

O primeiro-ministro anunciou hoje que o Governo decidiu adiar para a Área Metropolitana de Lisboa o levantamento de restrições decretadas para travar a expansão da covid-19.

SATA retoma ligações entre Lisboa e os Açores a 15 de Junho

29-05-2020 (18h24)

A Azores Airlines, do grupo SATA, vai retomar a 15 de Junho as ligações aéreas entre Lisboa e Ponta Delgada e Lisboa e a Terceira, bem como entre o Funchal e Ponta Delgada.

SET anuncia em cimeira internacional que Portugal está pronto para receber visitantes

29-05-2020 (17h37)

Quando as praias reabrirem, no dia 6 de Junho, “teremos condições para voltar a receber quem quiser visitar o nosso país”, afirmou a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, numa cimeira da Global Travel and Tourism Resilience Council.

Transavia França anuncia retoma de voos para Portugal a 15 de Junho

29-05-2020 (17h04)

A Transavia França, low cost do grupo Air France KLM com operações de/para aeroportos franceses, anunciou a retoma de voos de/para Portugal de Lyon e Nantes, a 15 de Junho, e de Paris Orly e Montpellier, a 26 de Junho.

Açores prorrogam estado de calamidade na Terceira e São Miguel até 15 de Junho

29-05-2020 (16h21)

O Governo Regional dos Açores decidiu prolongar o estado de calamidade nas ilhas de São Miguel e Terceira até 15 de Junho, devido à covid-19, mas autorizou a retoma gradual das ligações aéreas e marítimas interilhas.

Opinião e Análise