TAP tem pior pontualidade na OAG dos últimos nove meses, mas melhor que Aeroporto de Lisboa

09-07-2019 (20h43)

A TAP teve apenas 52,7% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora anunciada no mês de Junho, que é o seu pior desempenho nos rankings da OAG, ainda assim nove pontos melhor que o Aeroporto de Lisboa, seu principal hub e onde é a companhia com mais voos.

Os dados da OAG publicados hoje indicam que com esse nível de pontualidade a TAP foi a 142ª pior em 149 companhias, que foram lideradas pela Garuda Indonésia, com 96,1% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora prevista, e entre as quais se destacaram também a Copa Airlines, com 90,9%, 5º melhor índice do mês, e o LATAM Airlines Group, imediatamente a seguir, com 90,4%.

A nível do país, a TAP foi no entanto a segunda melhor, a seguir à SATA Air Açores, com um índice de pontualidade de 54,3%, em 139º lugar, mas melhor que a Azores Airlines (SATA Internacional), que foi a 3ª pior companhia do mês, com apenas 40,4% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora prevista.

Os dados da consultora OAG indicam que em Junho a TAP foi a 58ª maior companhia, com 11.926 voos, enquanto a Azores Airlines foi 211ª, com 749 voos e a SATA Air Açores foi 200ª, com 1.673 voos.

A Garuda, que foi a companhia com o melhor índice de pontualidade no mês de Junho, foi 51ª em número de voos, com 13.346, a Copa, 5ª em pontualidade, foi a 68ª em número de voos, com 10.141, e o LATAM Airlines Group, 6º em pontualidade, foi 15º em número de voos, com 37.422.

A nº 1 mundial em número de voos foi a norte-americana American Airlines, com 203.582, seguida pelas também norte-americanas Delta Airlines, com 171.638, United Airlines, com 152.135, e Southwest Airlines, com 118.372.

Seguiram-se a Ryanair, que foi assim a nº 1 europeia, com 73.328 voos, e depois a China Eastern Ailrines, com 66.074, a easyJet, com 55.999, a Air Canadá, com 47.680, a Lufthansa German Airlines, com 46.690,e a Turkish Airlines, com 42.283.

O melhor desempenho em pontualidade neste Top10 em número de voos foi a Delta Airlines, com 78,7% das chegadas até 15 minutos da hora anunciada, seguida por Ryanair, com 75,3%, Southwest, com 73,9%, Turkish, com 73,2%, American, com 71,1%, Air Canadá, com 69,2%, United, com 69%, China Eastern, com 68,8%, Lufthansa, com 65,3%, e easyJet, com 63,2%.

 

Clique para ler:

Aeroporto de Lisboa teve 13º pior pontualidade entre 1.198 aeroportos em Junho

 

Clique para mais notícias: OAG

Clique para mais notícias: Pontualidade

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP marca passo apesar de “interesse público”

10-07-2020 (15h34)

Uma semana depois de o Governo anunciar mudanças de fundo da TAP, entre elas a do CEO da companhia, inerentes ao reforço da sua posição para mais de 70% do capital, ainda nada mudou e é Antonoaldo Neves que continua a comandar a transportadora aérea.

SATA faz balanço "muito positivo" da retoma gradual das operações

10-07-2020 (15h25)

A SATA anunciou que a taxa de ocupação média dos seus voos “rondou os 40%” em Junho, fazendo assim um balanço "muito positivo" da retoma gradual das operações, que estiveram suspensas devido à pandemia da covid-19.

Bestravel leva agentes de viagens à Madeira para “transmitir confiança aos clientes”

10-07-2020 (14h49)

A Bestravel organizou uma viagem à Madeira com dez agentes de viagens para experienciarem “todo o processo que este novo normal implica” e “transmitir confiança aos clientes”.

Portugal “não foi escolhido por acaso” para receber a final da Champions, OMS

10-07-2020 (11h36)

Portugal "não foi escolhido por acaso" para acolher a final da Liga dos Campeões de futebol, mas porque "foi um dos países que melhor lidou" com a covid-19, afirmou um conselheiro da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Turismo aspira a “sobreviver” para “iniciar a recuperação” em 2021, OMT

10-07-2020 (09h54)

O sector do turismo aspira a "sobreviver" para "iniciar a recuperação" em 2021, afirmou Alessandra Priante, directora da Comissão Regional da Europa da Organização Mundial do Turismo (OMT), que prevê uma quebra de pelo menos 70% no turismo internacional face a 2019.

Opinião e Análise