Turismo mundial deve perder 1,78 biliões de euros em 2021 devido à Covid-19, OMT

29-11-2021 (17h50)

Foto: OMT
Foto: OMT

O setor do turismo mundial deverá perder 1,78 biliões de euros este ano devido a restrições adoptadas para combater a pandemia de covid-19, disse no Domingo a Organização Mundial do Turismo (OMT).

Esta estimativa, semelhante às perdas sofridas em 2020, surge à medida que foram introduzidas novas restrições, especialmente na Europa, para lidar com uma nova vaga da epidemia e evitar que a variante Ómicron, detectada pela primeira vez na África do Sul, se espalhe por todo o mundo.

Estes últimos desenvolvimentos mostram que “a situação é totalmente imprevisível” e que o sector do turismo não está imune a perigos susceptíveis de causar “enormes danos” económicos, disse à agência francesa AFP, o Secretário-Geral da OMT, Zurab Pololikashvili.

Segundo a agência especializada das Nações Unidas, que realizará a sua Assembleia Geral em Madrid, Espanha, de amanhã, 30 de Novembro, a 3 de Dezembro, as chegadas de turistas internacionais deverão permanecer este ano “70% a 75% mais baixas” do que antes da pandemia.

“A crise no sector do turismo é histórica, mas o turismo tem a capacidade de recuperar rapidamente”, acrescentou Zurab Pololikashvili, que espera que 2022 seja um ano muito melhor do que 2021.

Segundo o barómetro publicado pela agência das Nações Unidas, as chegadas de turistas internacionais “recuperaram durante a estação do Verão”, sugerindo uma melhoria após um início lento do ano, graças “à rápida progressão das vacinas”.

Contudo, “o ritmo da recuperação continua a ser desigual em todo o mundo”, refere um comunicado da OMT, atribuindo essa situação a “diferentes restrições de mobilidade, taxas de vacinação e confiança dos viajantes”.

Durante o terceiro trimestre, algumas ilhas das Caraíbas, bem como vários destinos do sul da Europa e do Mediterrâneo, registaram “chegadas próximas de (...) ou mesmo superiores” aos níveis de 2019, pré-pandemia, disse a organização sediada em Madrid.

Outros países, contudo, praticamente não viram turistas, nomeadamente na Ásia e na região do Pacífico, onde muitos Estados ainda proíbem viagens “não essenciais”.

De acordo com a OMT, 46 países permanecem nesta fase completamente fechados aos turistas, ou seja, um em cada cinco destinos, e 55 estão parcialmente fechados. Em contrapartida, quatro países levantaram todas as restrições: Colômbia, Costa Rica, México e República Dominicana.

Esta situação cria “confusão” e dificulta a retoma da actividade, diz a agência das Nações Unidas, que apela aos países para “harmonizarem” os seus protocolos, tirando partido dos progressos da “vacinação” e das novas “aplicações digitais”.

Devido às incertezas quanto à evolução da pandemia, a OMT não apresenta, nesta fase, uma estimativa do número de turistas que poderão viajar para o estrangeiro em 2022, mas adverte que a recuperação será “lenta” e “frágil”.

As “taxas de vacinação desiguais” e “novas estirpes de covid-19”, incluindo a variante Ómicron, poderão dificultar esta “recuperação”, sublinha a organização, que também teme os efeitos nas viagens do “recente aumento dos preços do petróleo”.

Face a estes obstáculos, só uma “resposta coordenada” dos países permitirá “restaurar a confiança dos consumidores”, conclui a OMT, que planeou debater estas questões na sua Assembleia Geral na capital espanhola.

A reunião, que contará com a participação de representantes dos 159 estados-membros, estava inicialmente agendada para Marraquexe, Marrocos. No entanto, Marrocos decidiu não acolher o evento devido ao ressurgimento dos casos covid-19 em muitos países.

(Notícia Lusa)

 

Clique para mais notícias: OMT

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Turismo do Porto e Norte inaugura tela de promoção ao Douro no Aeroporto Francisco Sá Carneiro

14-01-2022 (14h57)

O Turismo do Porto e Norte inaugura hoje uma tela gigante no exterior da sua loja no Aeroporto Francisco Sá Carneiro com uma "imagem poderosa do Douro Vinhateiro".

ONU melhora crescimento em África em 2021 para 3,8% e estima 4% este ano

14-01-2022 (11h26)

O Departamento das Nações Unidas para Assuntos Económicos e Sociais (UNDESA) melhorou a estimativa de crescimento para as economias africanas, antevendo uma expansão de 3,8% no ano passado e uma aceleração para 4% este ano.

Hong Kong proíbe trânsito de passageiros aéreos de 153 países, Portugal incluído

14-01-2022 (11h22)

O aeroporto de Hong Kong anunciou hoje a proibição do trânsito de passageiros de mais de 150 países a partir de Domingo, Portugal incluído, de forma a evitar a propagação da covid-19.

Turismo em África só regressa aos níveis pré-pandémicos em 2024 - ONU

14-01-2022 (11h18)

O Departamento das Nações Unidas para Assuntos Económicos e Sociais (UNDESA) alertou que o regresso dos turistas ao nível registado antes da pandemia de covid-19 só deverá acontecer "muito possivelmente" em 2024.

ONU melhora projeção de crescimento mundial para 4% este ano

14-01-2022 (11h13)

As Nações Unidas estimam que a economia mundial cresça 4% em 2022 e 3,5% em 2023, depois de uma expansão de 5,5% em 2021, mostrando-se mais otimista face ao anterior relatório, segundo previsões divulgadas.

Opinião e Análise