Durga Puja, um festival de cores, luzes e música na Índia

05-06-2019 (17h02)

Um festival que celebra a vitória do bem sobre o mal, que atrai milhões de pessoas de diferentes religiões e castas ao Este da Índia, um evento de luz, cor e música, assim foi apresentado ontem em Lisboa o Durga Puja.

Em Calcutá, uma das cidades onde é celebrado, “as pessoas vivem para o festival, preparam-no ao longo de dez meses”, realçou Jaydeep Mukherjee, presidente do operador turístico indiano Meghdutam Travels, numa apresentação para agentes de viagens, na Casa de Goa, em Lisboa.

Nos dias do festival, que este ano decorre entre 4 e 8 de Outubro, a cidade transforma-se numa galeria ao ar livre, com mais de 5.000 pandals, que são estruturas feitas por cada comunidade com recurso a diferentes materiais, decoradas e coloridas para homenagear a deusa Durga.

A deusa guerreira é representada em esculturas e gravuras com vários braços, geralmente montada em cima de um leão, a derrotar o demónio Mahishasura. É essa vitória do bem sobre o mal que é celebrada no festival.

Além de homenagear Durga, o festival é considerado uma plataforma de expressão artística da população, uma vez que cada estrutura ou pandal tem associada uma mensagem social ou cultural.

No último dia, as estátuas são depositadas nas águas do rio Ganges, consideradas sagradas, um momento emotivo em que as pessoas choram, batem palmas e pedem a Durga que volte no ano seguinte, segundo descreveram na apresentação três participantes de edições anteriores.

Jaydeep Mukherjee, do operador turístico Meghdutam Travels, tem viajado por vários países com a sua família para promover o Durga Puja. Ontem, em Lisboa, fez a sua primeira apresentação em Portugal, propondo aos agentes de viagens dois programas completos.

Os pacotes de sete noites para assistir ao festival em Calcutá apresentam preços por pessoa em quarto duplo desde 2.050 euros, incluindo voos de ida e volta à partida de Lisboa, transferes, alojamento, refeições, entrada nos pandals, um espectáculo cultural, um cruzeiro no Ganges, uma excursão em Calcutá e um guia em inglês.

O operador também tem um programa de 13 noites que, além do festival em Calcutá, inclui visitas a Delhi, Agra, Jaipur, Khajuraho e Varanasi, a partir de 3.100 euros por pessoa em quarto duplo.

Para ver aceder ao site do operador turístico clique aqui.

 

Clique para ver mais: Promoções

Clique para ver mais: Índia

Clique para ver mais: Ásia&Pacífico

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Pousadas de Juventude em reabrem após meses a apoiar combate à pandemia

16-07-2020 (11h34)

As Pousadas de Juventude reabriram ontem ao público com um conjunto de regras definidas com a ajuda das autoridades da saúde, após um período em que estiveram a apoiar o combate à pandemia.

Alijó cria centro interpretativo dedicado ao azeite do Douro

16-07-2020 (11h18)

A Câmara de Alijó anunciou hoje que vai transformar uma antiga azenha no centro interpretativo “D’Olival ao Azeite D’Ouro”, um investimento de 775 mil euros que visa valorizar e inovar o azeite duriense.

Coimbra investe 2,5 milhões de euros na requalificação de caminhos pedonais

14-07-2020 (16h05)

A Câmara de Coimbra vai adjudicar três dos cinco lotes da requalificação dos caminhos pedonais entre Celas e Arregaça, que envolvem mais de metade do valor do projecto, que é de 2,5 milhões de euros.

Redondo vai criar percurso pedonal no "coração" da serra d´Ossa

14-07-2020 (15h58)

A Câmara de Redondo (Évora) vai criar no "coração" da serra d´Ossa um percurso pedonal que pretende levar à descoberta dos patrimónios natural, paisagístico e histórico e da fauna e flora consideradas "ímpares", divulgou hoje o município.

Museu do Caramulo restaura claustros do século XVIII

14-07-2020 (15h52)

O Museu do Caramulo, em Tondela, está a restaurar os claustros do século XVIII que serviram de base a toda a estrutura edificada, após 17 anos de angariações e 40.000 euros reunidos.

Opinião e Análise